Como parar de se comparar com os outros?

A melhor maneira de se sentir infeliz é se comparar com os outros. 

Quando nos comparamos, nos desvalorizamos. Dizemos a nós mesmos que os outros são melhores do que nós. Que eles tenham um estilo de vida melhor, que sejam mais inteligentes, mais bonitos, mais ricos, mais populares, mais criativos…

E isso desperta em nós todo tipo de emoções negativas: ciúme, inveja, frustração ou até desprezo.

É um reflexo muitas vezes inconsciente que pode ser superado quando você conhece as técnicas corretas.

Neste artigo, veremos por que devemos parar de nos comparar com os outros e como parar de fazer isso.

Por que devemos parar de nos comparar com os outros?

Muitas vezes nos comparamos injustamente

Quando nos comparamos com os outros, muitas vezes o fazemos injustamente porque opomos suas maiores qualidades às nossas maiores falhas. Nós nos concentramos apenas em seus pontos fortes e ignoramos completamente suas fraquezas. 

Muitos empreendedores, por exemplo, idealizam Steve Jobs. E quando você olha para o que ele realizou, você pode entender o porquê. Fundou a Apple, uma das empresas mais admiradas do mundo, hoje capitalizada em mais de 1.000 bilhões de dólares. 

Para muitos, ele é considerado um visionário, um líder, um criativo e um excelente comunicador. 

Se pararmos nessa descrição, há algo para invejar esse empresário carismático e se sentir minúsculo ao lado dele. Mas você deve ter em mente que essas qualidades são apenas parte dele. Muitas pessoas que o conheceram admitem que ele também tinha muitas falhas. 

rapaz tomando decisões
rapaz tomando decisões

Apesar de todos os seus sucessos, ele tinha um incrível complexo de inferioridade e não reagia bem quando se sentia ameaçado .

ROB ENDERLE

Ele estava sempre com vontade de dizer que você era uma merda ou de seduzi-la .

BILL GATES

A época em que conheci Steve Jobs foi meio idiota.

ELON MUSK

Quando nos comparamos, muitas vezes tendemos a olhar apenas para os lados positivos das pessoas que admiramos. Só que ninguém é perfeito e a imagem que temos dos outros raramente reflete a realidade.

Não vemos a parte submersa do iceberg 

Quando comparamos, não vemos a parte submersa do iceberg. Comparamos o que acontece nos bastidores com o que os outros nos mostram quando estão no palco.

Quando um de nossos contatos no LinkedIn celebra um contrato que acabou de assinar com um grande cliente, dizemos a nós mesmos que também gostaríamos de assinar contratos desse tipo.

E quando saímos no Instagram e um influenciador compartilha fotos dele em lugares celestiais, não podemos deixar de invejá-lo e imaginar como seria nossa vida se estivéssemos no lugar dele.

Somente fazendo isso, nos comparamos aos produtos acabados. Não conhecemos todo o processo que trouxe essas pessoas para onde estão hoje.  

Se o nosso contacto no LinkedIn conseguiu assinar um grande contrato, é sem dúvida o resultado de vários meses de esforço. Não sabemos o que ele passou para chegar lá. Ele certamente teve que passar por alguns momentos difíceis. 

Idem para o influenciador do Instagram. A vida dos influenciadores não é tão cor-de-rosa quanto nos fazem acreditar. Certamente eles têm a chance de viajar para lugares idílicos, mas também é um trabalho real com restrições reais. 

Antes de chegar lá, eles passaram vários anos nas sombras para desenvolver sua comunidade. Todos os dias eles têm que se reinventar para não perder seu público. Sem falar que por trás de todo conteúdo, existe um trabalho.

Porque sim, podemos sonhar em ver esse magnífico nascer do sol no topo de uma montanha, por outro lado, podemos sonhar menos em acordar às 3 da manhã com a câmera, o tripé e o drone na bolsa e caminhar por 2 horas com a lanterna de cabeça para chegar ao cume e tirar essa foto de madrugada. No entanto, isso também é ser um influenciador.

Muitas vezes esquecemos o que está por trás dos sucessos, todo o processo, todas as horas de trabalho, o sofrimento, os sacrifícios  … ser como ela muito menos.

mulher nos negócios
mulher nos negócios

Essas pessoas podem dar a impressão de que é fácil, que vivem bem, mas assim como nós, também têm seus desafios, seus medos e suas dúvidas. Mas essa é a parte submersa do iceberg que não vemos.

Comparar-se é uma corrida perdida

A comparação é uma corrida que você nunca pode ganhar. Sempre encontraremos algo que os outros têm e nós não. Sempre haverá alguém que fará melhor do que nós. Não importa o nosso nível de excelência. 

Você pode ser um milionário, você vai se comparar com uma pessoa que é milionária e atlética. Você pode ser milionário e atlético e terá inveja da pessoa que é milionária, atlética e que também tem uma vida familiar equilibrada.

Você pode pensar que, uma vez alcançado um certo grau de sucesso, não se compara mais porque está feliz com o que tem, mas esse nunca é o caso. Enquanto nos compararmos, sempre sentiremos que nunca somos o suficiente.

Comparar-se é um jogo que você nunca pode ganhar.

Comparar alimenta nossas piores emoções

Quando nos comparamos com outras pessoas que são “melhores” do que nós, alimentamos nossas piores emoções: ciúme, inveja, ressentimento, sofrimento. 

E, inversamente, quando nos comparamos com outras pessoas que consideramos “menos boas”, alimentamos artificialmente nosso ego. Às vezes, podemos até mesmo inconscientemente colocar os outros para baixo para nos tranquilizar ou para nos sentirmos mais fortes. 

Apenas este jogo de relatórios é inútil. Não existem pessoas “melhores” ou “piores” do que nós. Existem apenas pessoas diferentes que têm origens e qualidades diferentes. Essa noção de melhor/menos bom é ilusória. Por outro lado, as emoções que deixa em nós são muito reais e nos fazem um desserviço.

Então, como você para de se comparar com os outros?

Como parar de se comparar com os outros?

Conscientize-se de que estamos nos comparando

Comparar-se é um reflexo rápido e inconsciente. É por isso que é tão difícil não se comparar.

A melhor maneira de saber que estamos fazendo isso é observar nossas emoções. Como vimos anteriormente, quando sentimos ciúme, inveja, frustração ou desprezo, muitas vezes é sinal de que estamos nos comparando.

Devemos, portanto, identificar esses momentos em que essas emoções nos atravessam para reconhecer que estamos nos comparando. E é só então que podemos agir para parar de fazê-lo.

eficiencia
eficiencia

Lembre-se dos efeitos ruins da comparação

Uma vez que percebemos que estamos nos comparando, é bom lembrar por que nos compararmos é improdutivo:

  • Nós sempre nos comparamos injustamente
  • O que outras pessoas nos mostram é apenas uma pequena fração do que realmente está acontecendo em suas vidas.
  • Nunca podemos vencer o jogo da comparação, independentemente de nosso grau de sucesso, nossas qualidades ou nossas realizações.
  • Quando nos comparamos, alimentamos nossas piores emoções

Mostrar gratidão

“ Quando você está feliz em ser você mesmo e não se compara ou tenta competir, todos irão respeitá-lo .”

LAO TZU

Para parar de nos comparar, temos que mudar o que focamos. Ou seja, não olhar para o que nos falta (o carro esportivo, a casa, a popularidade…), mas sim olhar para o que já temos e ser grato por isso. 

Quando demonstramos gratidão, instantaneamente substituímos nossas emoções de ciúme, inveja e desprezo por alegria e contentamento.

Devemos pensar em todas aquelas coisas que preenchem nossa vida. Coisas importantes como nossa saúde, nossa família, nossos amigos, nossos projetos… Ou coisas menores como o bom tempo, ter um teto sobre nossas cabeças, simplesmente poder respirar… 

Mostrar gratidão é o melhor remédio contra a comparação.

Colocar raízes

Esteja tão ocupado melhorando a si mesmo que não terá tempo de prestar atenção às pessoas que o distraem de seu próprio desenvolvimento.

Quando nos comparamos, focamos na pessoa errada. Damos muita atenção à vida dos outros quando deveríamos nos concentrar na nossa. 

Se há uma coisa que controlamos, são as nossas vidas e não as dos outros. 

Devemos, portanto, ignorar o barulho ao nosso redor e nos concentrar em nós mesmos. Para isso, devemos fazer um trabalho de introspecção para saber quem somos, quais são os nossos valores e o que queremos da nossa vida.

Ao fazer este trabalho, criamos raízes. Nós estabilizamos. Tornamo-nos inabaláveis. Sabemos quem somos, o que realmente valemos e para onde queremos ir. 

Tanto melhor se os outros ao nosso redor tiverem sucesso. Tanto melhor se eles tiverem uma vida boa. Permanecemos fiéis a nós mesmos e ao nosso destino.

Conclusão

Concluindo, parar completamente de se comparar com os outros é uma tarefa difícil porque todos fazemos isso instintivamente. Mas as poucas dicas que você aprendeu aqui devem ajudar. 

Como lembrete, para parar de se comparar, você deve: 

  • Conscientize-se de que estamos nos comparando
  • Lembre-se dos efeitos ruins da comparação
  • Mostrar gratidão
  • Criar raízes, ou seja, saber quem somos e o que valemos

Explorando o Gamebucks: Transformando Opiniões em Inovação Gamer

O Gamebucks, uma criação visionária do programador brasileiro Carlos, celebrado como o Elon Musk...

Guia Essencial para Escolher a Agência de Marketing Digital Perfeita para o Seu Negócio

O marketing digital tornou-se uma ferramenta indispensável para empresas que buscam se destacar no...

Técnico Mecânico Hidráulico: Um Guia Completo Sobre a Profissão

A carreira de Técnico Mecânico Hidráulico é uma das mais fundamentais no setor industrial...