Síndrome do Objeto Brilhante

A Síndrome do Objeto Brilhante é o que acontece quando você busca compulsivamente a novidade. Seja uma nova tendência, um novo smartphone, a última rede social da moda, uma nova série Netflix, o novo programa esportivo “revolucionário”, a nova dieta “milagrosa”… 

Você é atraído por todas essas coisas novas e brilhantes porque elas são atraentes, porque você quer ficar por dentro, mas também porque tem medo de perder.

Mas esses objetos costumam ser uma fonte de distração. Mesmo que no começo eles te dêem satisfação, você sempre acaba se cansando deles. 

Pegue o iPhone, por exemplo, quando um novo iPhone é lançado, você definitivamente quer colocar as mãos nele. Você mal pode esperar para usar novos recursos, tirar fotos melhores e ter um desempenho melhor, então você o compra. 

E quando você finalmente o tem em suas mãos, você fica superexcitado, você o vê como o objeto mais precioso do mundo. Mas depois de alguns meses, você se cansa disso. Seu iPhone não é mais tão novo e você já está começando a pensar em comprar o próximo.

Aqui tomei o exemplo do iPhone, mas poderia ter tomado o de uma nova dieta “milagrosa”, uma nova estratégia de marketing “explosiva” ou mesmo um novo gadget “mágico”. O fenômeno continua o mesmo.

Primeiro você pula na novidade e depois de um tempo perde o interesse e procura outra novidade. 

Então qual é o problema? E como você supera a Síndrome do Objeto Brilhante?

ampulheta
ampulheta

Problemas da Síndrome do Objeto Brilhante

Problema nº 1: você não segue

A Síndrome do Objeto Brilhante causa problemas ao perseguir um objetivo. Porque ao buscar constantemente novidades, você se espalha.

Por exemplo, você perseguirá uma ideia e, antes mesmo de chegar ao fim, abordará uma nova. Você vai começar um monte de coisas que você não vai terminar.

Este foi o meu caso quando iniciei minha carreira em marketing. Na época, eu trabalhava para uma start-up e sempre tinha um monte de ideias para divulgar a empresa, o que já era uma coisa boa. O problema é que nunca fui atrás dessas ideias.

Um dia eu estava implementando uma estratégia, mas depois de um tempo eu sempre tinha novas ideias que pareciam melhores para mim. Então abandonei minha estratégia inicial para adotar uma nova.

Como fui mudando meus planos, meus resultados foram ruins porque nunca me dei tempo para implementar minhas estratégias. Foi um caso típico de Síndrome do Objeto Brilhante.

Problema nº 2: Você paga o custo da troca

Quando você muda de uma coisa para outra, está sujeito ao que é chamado de custo de mudança . O custo da mudança é o que você paga cada vez que troca uma coisa por outra.

Este custo pode ser explícito. Este é o caso quando você assina um contrato de assinatura de telefone, por exemplo. Se você mudar de operadora de telefonia para escolher uma nova e mais barata, por exemplo, terá que pagar taxas de rescisão conforme explicitamente especificado em seu contrato.

Mas esse custo também pode estar implícito. Se você usar uma ferramenta com suas equipes e decidir adotar uma nova que seja mais eficiente, você não apenas pagará o preço da nova ferramenta (custo explícito), mas também pagará pelo seu tempo para adotar essa ferramenta (custo implícito). custo). Você gastará tempo aprendendo sobre a ferramenta antes de comprá-la e também gastará tempo depois de comprá-la para treinar suas equipes. 

Correr atrás da novidade, portanto, nunca é de graça. Você quase sempre pagará em dinheiro e tempo. 

homem no celular e no computador
homem no celular e no computador

Problema nº 3: você procrastina

A Síndrome do Objeto Brilhante também pode assumir a forma de procrastinação . Você então usa a novidade para evitar ter que fazer algo difícil.

É quando você diz a si mesmo que para fazer X (a coisa que você está procrastinando), você primeiro precisa de Y (o objeto brilhante). E até conseguir, você não pode começar.

Por exemplo, você diz a si mesmo que, para praticar esportes, primeiro precisa de novos equipamentos esportivos, fones de ouvido Bluetooth e uma lista de reprodução com as músicas mais recentes. E até que você tenha isso, você não pode ir até ele. 

Ou é quando você diz a si mesmo que para começar seu negócio você precisa primeiro criar lindos cartões de visita e até que você os tenha, você não pode começar a prospectar.

Só que muitas vezes são apenas desculpas para não começar agora. Você correrá atrás do novo para não fazer o que é difícil agora.

Então, como você supera a Síndrome do Objeto Brilhante?

Como superar a Síndrome do Objeto Brilhante?

Distinguir a necessidade real do objeto brilhante

Adotar algo novo não é uma coisa ruim em si, a novidade às vezes é boa. Mas na maioria dos casos, essas novidades são distrações a serem evitadas.

Então, como distinguir? Como você sabe se está respondendo a uma necessidade real ou se está apenas sendo seduzido por um objeto brilhante? 

Bem, você tem que saber reconhecer as características de um objeto brilhante.

Primeiro, um objeto brilhante é algo que você deseja repentina e fortemente. O “de repente” aqui é importante. Um objeto brilhante não é algo que você deseja há muito tempo. Muitas vezes é um desejo passageiro. 

Você verá um anúncio de um novo smartwatch e sentirá imediatamente um desejo ardente de comprá-lo quando, alguns minutos antes, nunca havia pensado em comprar um relógio desse tipo.

habitos
habitos

Ou você lê um estudo de caso de marketing que explica como a empresa X aumentou seu faturamento em 4 em 6 meses e de repente decide mudar completamente sua estratégia de marketing para imitar essa empresa cujos resultados você deseja. 

Quando o desejo é forte e repentino, muitas vezes é sinal de que você está diante de um objeto brilhante.

Em segundo lugar, um objeto brilhante responde mais frequentemente a um desejo do que a uma necessidade real. Se você deseja comprar o iPhone mais recente, não é porque seu telefone atual parou de funcionar. Você só faz isso porque gosta de um telefone mais novo. E se você baixar o app mais recente de que todo mundo está falando, não é para atender a uma necessidade, mas porque você quer continuar no jogo. 

Se você cumprir um desejo, é definitivamente um item brilhante.

E terceiro, um objeto brilhante é algo que você idealiza. Você tende a considerar apenas os aspectos positivos e minimizar os negativos. 

Se você gosta de um carro novo, por exemplo, focará na potência do veículo, no conforto, na funcionalidade etc. E tenderá a minimizar os aspectos negativos dessa compra. Você minimizará o empréstimo ao consumidor que precisará fazer e o seguro que precisará pagar a cada mês.  

Além disso, muitas vezes você sentirá a necessidade de justificar esse tipo de compra.

“Com as milhas que faço todos os anos, preciso de um carro confortável.”

“Meu carro atual consome muito, comprando esse novo veículo eu vou me encontrar lá com o preço da gasolina.”

Quando você sentir que precisa racionalizar sua compra, tenha cuidado, pois muitas vezes é um sinal de que você está lidando com um objeto brilhante.

Ao reconhecer as características dos objetos brilhantes, você poderá evitá-los melhor.

deixe ficar

Acabamos de ver que um objeto brilhante é algo que você deseja repentina e fortemente. Uma boa maneira de limitar seus efeitos é deixá-lo descansar. Ou seja, esperar vários dias ou mesmo várias semanas antes de tomar uma decisão .

Se você gosta de um relógio novo, por exemplo, não compre imediatamente. Espere alguns meses e veja se você ainda sente vontade depois disso. Se você ainda quer tanto, compre. Caso contrário, economize seu dinheiro ou gaste-o em algo que você realmente precisa. 

E se você tem uma nova ideia que parece relevante para você no momento, espere vários dias antes de implementá-la. Você pode então pensar sobre sua ideia com a cabeça clara e tomar uma decisão melhor. Se essa ideia ainda soa brilhante para você, torne-a realidade. Mas se ela perder o interesse, não aja. Você economizará tempo e energia. 

O tempo é seu melhor aliado quando você enfrenta um objeto brilhante. Deixe as coisas descansarem e você agirá com menos impulsividade.

tempo
tempo

Lembre-se que tudo fica velho

Correr atrás de objetos brilhantes é uma corrida sem fim. Sempre haverá coisas novas. Novos gadgets, novos telefones, novos filmes, novas séries, novas redes sociais, novos aplicativos… E cada novidade sempre parecerá melhor para você do que a anterior. 

Tome as mídias sociais, por exemplo. Nos anos 2000 todo mundo jurava pelo MySpace. Foi a novidade. Você absolutamente tinha que ter um perfil no MySpace para estar na moda. Então a plataforma gradualmente perdeu o interesse e o Facebook assumiu. Em 2010, o Facebook era a rede de tendências em que você absolutamente precisava estar. Hoje, o Facebook, por sua vez, está perdendo interesse e agora é o TikTok que está crescendo em popularidade. E em alguns anos o TikTok dará lugar a outra rede social.

Observamos a mesma coisa para telefones, computadores, programas esportivos, aplicativos, gadgets, ideias… Uma novidade chega, chama a atenção, todo mundo fala sobre ela e aos poucos perde o interesse e é substituída por outra coisa. 

Quando ela está ganhando atenção, você sempre fica tentado a fazer como todo mundo porque quer ficar por dentro e porque tem medo de perder alguma coisa. Mas lembre-se, novidades são como ônibus. Se você perder um, não é grande coisa, sempre haverá outro que virá depois e outro depois deste. 

Lembre-se disso e você não sentirá mais essa necessidade compulsiva de sempre correr atrás do novo. 

Maximize o que você já tem

Na minha antiga empresa, usávamos um software chamado Intercom. Esta solução permitiu-nos comunicar com os nossos clientes potenciais e clientes. Era um software poderoso, com o qual você podia fazer muitas coisas. Mas estávamos usando apenas talvez 15-20% de sua capacidade.

E então um dia, não me lembro bem por que, viemos falar sobre o HubSpot com minha equipe. Vimos cada vez mais empresas usando essa solução e achamos que provavelmente seria uma boa ideia usá-la também para nossa equipe de marketing e vendas.

Então entrei em contato com a HubSpot para obter mais informações. E percebi que integrar tal solução na empresa levaria muito tempo e dinheiro. Finalmente desistimos de usar o software. 

Não foi tão ruim porque mais tarde descobrimos que a Intercom nos permitia fazer tudo o que precisávamos. Só precisávamos dar uma olhada mais de perto na solução que já estávamos usando.

agenda
agenda

Moral da história, antes de correr atrás de um objeto brilhante, primeiro busque maximizar o que você já tem.

Talvez você não precise comprar uma câmera nova e mais potente. Talvez tudo que você precise é aprender a usar melhor o que você já tem.

Talvez você não precise de novas estratégias para expandir seus negócios. Talvez você só precise olhar para fazer o que você já tem no local funcionar. 

E talvez você não precise comprar um novo treinamento. Talvez tudo o que você precise é aplicar o conselho daquele que você já seguiu. 

Já use o que você tem ao máximo e só então considere outras soluções.  

Conclusão

A Síndrome do Objeto Brilhante é um problema porque impede você de fazer as coisas, faz você procrastinar e custa tempo e dinheiro.

Para superar essa síndrome, você deve:

  • aprenda a distinguir necessidades reais de objetos brilhantes 
  • deixe as coisas descansarem para tomar decisões mais racionais
  • reconheça que sempre haverá coisas novas para reduzir a influência que elas têm sobre você 
  • maximizar o que você já tem antes de considerar novas soluções

Explorando o Gamebucks: Transformando Opiniões em Inovação Gamer

O Gamebucks, uma criação visionária do programador brasileiro Carlos, celebrado como o Elon Musk...

Guia Essencial para Escolher a Agência de Marketing Digital Perfeita para o Seu Negócio

O marketing digital tornou-se uma ferramenta indispensável para empresas que buscam se destacar no...

Técnico Mecânico Hidráulico: Um Guia Completo Sobre a Profissão

A carreira de Técnico Mecânico Hidráulico é uma das mais fundamentais no setor industrial...